Qual a relação entre sociedade e currículo?

17/07/2011 12:51

 Qual a relação entre sociedade e currículo ?

Por: charles Quirino

No passado o currículo sempre foi encarado como “esquema” útil  na preparação de indivíduos capazes de atuarem no mercado de trabalho ou no mundo tecnicamente capitalista. As ideias defendidas por Bobbitt, “o currículo”, aponta para essa verdade. Nesse ponto, percebe-se que a “missão” do currículo não era com a formação integral do aluno e sim, em tentar formá-lo a encarar as realidades postas pelo mundo capitalista cada vez mais competitivo.

Em meados de 1960 o currículo, como objeto de estudo, passou a ser visto dentro das expectativas sociais. Esse fato só foi possível graças a alguns críticos da época como, por exemplo: Marx e Horkheimer. Muitos desses conceituados teóricos vieram de várias escolas da Europa, como da escola de Frankfurt.

Segundo SILVA (2002), podemos dividir estas teoricas curriculares, em teorias educacionais criticas da reprodução e teorias educacionais de resistência. A primeira subdividi-se em dois grupos: teoria de reprodução social e a de reprodução cultural .

Com relação as teorias educacionais de resistência, encontramos a pessoa de Giroux(1983), Freire(1970) e a Nova Sociologia da Educação (1971).     

 Diante de disso, se queremos refletir sobre a educação de hoje, é preciso que olhemos um pouco para o passado. Uma auto análise dos acontecimentos ou idéias da época é fundamental. Precisamos assumir uma postura crítica capaz de querer mudar as situações do presente, sem essa tomada de decisão as coisas ficam dificéis.

O currículo ele tem a função de garantir condições para que o aluno construa instrumentos que o capacite para o processo de educação permanente: a educação para a vida. “Quando contamos histórias estamos atuando sobre as outras pessoas[...] o fato de contarmos histórias nos fornece um autorretrato através do qual podemos descobrir/refletir as visões que temos e que o outro também tem sobre o mundo”.

Nesse sentido, não podemos desconsiderar as tantas narrativas que atravessam o currículo escolar aos quais os estudantes estão expostos durante anos de sua vida. 

 Os conteúdos trabalhados devem se ampliar para além dos fatos e conceitos, passando a incluir procedimentos e atitudes baseados na realidade do aluno. A base curricular para o conhecimento do educando precisa ser encarado além das vontades de uma determinada classe social. O currículo deve está a favor do aluno, dos anseios sociais e não de certo grupo detentor do poder social.

É por isso, que o currículo precisa ir bem mais além das simples ações pedagógicas. Ele só terá, de fato, valor quando o cidadão é preparado para suas reais situações de vida: morte, desemprego, desilusões, religião, saúde, namoro, casamento, tecnologia, meio ambiente e outras milhares de situações. Quando isso acontece, o currículo fez-se útil à formação do aluno cidadão.

 

Referências:

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Escola_de_Frankfurt . Acesso em 17 de julho de 2011 

 

Material liberado para estudo - curso pedagogia –UFAL –UAB –Ano jul/2011- Curso Pedagogia – site: http://www.ead.ufal.br/mod/resource/view.php?id=30525acesso ao site em:17/07/2011 às 12:50

 

Dicionário eletrônico Michaelis


Pensar é conhecer! Conhecer é viver!