RESUMO CRÍTICO DO FILME GERMINAL x REALISMO - NATURALISMO - Por Charles Quirino

26/02/2011 08:22

 RESUMO CRÍTICO DO FILME GERMINAL x REALISMO - NATURALISMO

 Por:Charles Quirino 

  

O filme Germinal foi produzido em 1993, é baseado em no romance francês Germinal de Émile Édouard Charles Atoine Zola, de 1881. O cenário é uma pequena vila de trabalhadores de minas dominada por extrema miséria econômica e muita degradação humana. Na década de 1980 o fechamento de muitas minas de carvão da Inglaterra, principal pólo de sustentação econômica em várias cidades, gerou uma forte crise entre os trabalhadores.

Comparando-o com as obras literárias observamos de imediato que o mesmo trata de centraliza-se no movimento realista - naturalista. A objetividade com relação às tomadas de decisões, os ideais propostos que eram votados para a massa popular, deixa bem claro essa verdade.  

Podemos falar também que o filme, assim como nas obras naturalistas a razão prevalecia muito as emoções, a arte de modificar a realidade era vista injustamente pelo poder dominante. Os próprios funcionários da mina sempre  questionavam seus direitos perdidos, porque para a classe burguesa isso não valeria de nada. Seus objetivos financeiros estavam acima dos propósitos  dos trabalhadores.  

As personagens sofrem influências dos intelectuais da Europa, o simples modo de vida da classe operária muda a partir dessas novas ideais: teoria cientificistas, positivismo, evolucionismo e o determinismo . .

Os escritores desse período procuram descrever com maior realidade os costumes e as relações entre os seres humanos. A luta dos trabalhadores mineiros foi o marco inicial para aquisição de uma política de igualdade.

 O que prevalecia na época era a dominância de uma classe sobre a outra. A cidadania ameaçada pelas relações de produção fizera com que um grupo social não mais aceitasse passar necessidades e privações pela falta de igualdade. Aqui percebemos uma característica típica das obras realistas-naturalista: a burguesia dominando sobre o assalariado. Os primeiros vives das regalias do trabalho escravo dos mais fracos. Não muito diferente do que é apresentado em nosso atuais dias.

Os senhores eram proprietários da força de trabalho ( dos escravos), dos meios de produção ( terras, pão, minas, instrumentos de produção) e do produto do trabalho.

A burguesia possui as minas ou as fábricas, os meios de transportes, as terras, os bancos etc. O trabalhador não é obrigado a ficar sempre na mesma terra ou na mesma situação: “ele é livre” para não trabalhar, mas na pratica precisam de trabalhar para não morrer de fome.

Concluímos, que os realistas eram anti-românticos, objetivos e racionalistas. Postulavam a primazia da razão sobre o sentimento, fato esse percebido nas relações amorosas. A mulher era símbolo de prazer e não de amor. Situações de venda, trocas colocava-a igual ou menor a mercadoria


Pensar é conhecer! Conhecer é viver!